quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Luandino - José Luandino Vieira e a sua obra

Luandino - José Luandino Vieira e a sua obra : estudos, testemunhos, entrevistas / Michel Laban/ 1ª Edição/ Exp. com capas oxidadas/ Miolo em bom estado de conservação/ Ilustrado Autor: Laban, Michel Publicação: Lisboa : Edições 70, imp. 1980 Descr.Fisica: 323 p. : il. ; 22 cm Raro 25€

Luanda : Cidade Portuguesa

Luanda : Cidade Portuguesa Fundada por Paulo Dias de Novais em 1575/ com 198 gravuras a preto e branco e 5 reproduções de litográficas de Neves e Sousa Autor: Pires, Rui Publicação: Direcção dos Serviços de Economia. Secção de Publicidade Descr.Fisica: 24 p. : 184 il ; 26 cm Preço: 40€

Angola : Província de Portugal em África

Angola : Província de Portugal em África / Aguarelas e Vinhetas de Neves e Sousa/ com 5 reproduções litográficas de Neves e Sousa Autor: Sousa, Neves e 1921-1995 Publicação: Luanda : Instituto de Angola, 1953 Descr.Fisica: 209 p. : il. ; 26 cm Raríssimo 40€

50 anos de Actividade da F.T.U. : 1904-1954

50 anos de Actividade da F.T.U. : 1904-1954 / Fábrica de Tabácos Ultramarina/ algumas notas históricas, A F.T.U. a sua actividade e as suas marcas de tabacos, A produção da F.T.U. para consumo da provincia e para a exportação, o tabaco em Angola. Breve revista sobre a sua cultura. Qualidades e tipos/ Algumas das ilustraçõessao replicas reais das marcas embalagens do tabaco. (invulgar). Autor: Fábrica de Tabácos Ultramarina Publicação: Lisboa : 1954 Descr.Fisica: 38 p. : il. ; 26 cm Raríssimo 75€

Angola : terra e sangue de Portugal

Autor: PINHEIRO, Alves Título: Angola : terra e sangue de Portugal / Alves Pinheiro ; Paulo Ferraz Publicação: Rio de Janeiro : J. Ozon + Editor, 1961 Descrição física: 247 p. ; 20 cm Angola História de Portugal 20€

domingo, 24 de janeiro de 2016

GUIA DE PORTUGAL

GUIA DE PORTUGAL - 9 Volumes: Generalidades, Lisboa (1 vol) Estremadura Alentejo, Algarve.(1 vol.) Beira Litoral - Beira Baixa e Beira Alta (2 vols) Entre Douro e Minho -Douro Litoral.Entre Douro e Minho -Minho (2 vols). Tràs-os-Montes-Vila Real, Chaves e Barroso- Tràs-os-Montes e Alto Douro,Lamego e Bragança (2 vols). Lisboa e Arredores (1 vol). Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa. S/d. In- 8º de 9 volumes. Enc. do editor. 50€

ANTOLOGIA DA MÚSICA EUROPEIA

ANTOLOGIA DA MÚSICA EUROPEIA Dos Trovadores a Beethoven. SASSETTI. 205 págs. com ilustrações. 12€

PRESENÇA - Folha de Arte e Critica

PRESENÇA - Folha de Arte e Critica Publicação Comemorativa -Cinquentenàrio da Fundação da Presença. 1977, 1ºEdição. Lisboa Casa portuguesa In-4º de 74 32 (6) páginas ilustrado. Bom estado. 15€

domingo, 17 de janeiro de 2016

'HISTÓRIA DA ÁFRICA LUSÓFONA'

'HISTÓRIA DA ÁFRICA LUSÓFONA' De Armelle Enders Editora Inquerito Lisboa 1997 Livro com 136 páginas, ilustrado com mapas Novo 20€

Raymond Roussel ~ Novas Impressões de África

Raymond Roussel ~ Novas Impressões de África tradução de Luiza Neto Jorge introdução e apensos de Manuel João Gomes direcção gráfica de João Bicker Fenda 1988 Novo 15€

Para Compreender Angola

Para Compreender Angola Manuel Jorge Editor: Dom Quixote 1ª Edição Junho de 1998 Coleção: Caminhos da Memória Estado: Bom 20€

Angola - E.U.A.: Os Caminhos do Bom-Senso

Angola - E.U.A.: Os Caminhos do Bom-Senso Autor: José Patrício Edição: 1998 Páginas: 272 Editor: Dom Quixote ISBN: 9789722014601 Coleção: Caminhos da Memória Estado: Bom

Origens do Nacionalismo Africano

Origens do Nacionalismo Africano de Mário Pinto Andrade Edição/reimpressão:1998 Páginas: 230 Editor: Dom Quixote 1997 Coleção: Caminhos da Memória Sinopse Ao falecer em Londres, a 26 de Agosto de 1990, Mário Pinto de Andrade deixou concluída a presente obra que o acupou quase a vida inteira. Estudo aliciante, ao mesmo tempo rigoroso e apaixonado, sobre a formação das ideias nacionalistas em áfrica (em especial na África de lingua portuguesa), e a sua ligação á afirmação identitária da diás pora negra nos Estados Unidos da América, este não é apenas um livro de história: é um livro destinado a fazer história NOVO 25€

Morte da Dignidade / A Guerra Civil em Angola

Morte da Dignidade A Guerra Civil em Angola Prefácio de Pepetela Victoria Brittain Publicações D. Quixote 1ª Edição Março de 1999 190 páginas /Novo

O Pensamento Estratégico de Agostinho Neto

O Pensamento Estratégico de Agostinho Neto Iko Carreira "Em Angola, totalmente destruída pela guerra fraticída, volta-se ao "colonialismo".Incapaz de resolver, sem ajuda de ninguém, o conflito interno, Angola viu-se na obrigação de pedir o apoio da Nações Unidas. Estas, com o apoio de todos, mediaram a solução no conflito e enviaram os seus capacetes azuis. Teoricamente, os capacetes azuis estão em missão de paz. Mas a esse tipo de missão, há a acrescentar a volumosa ajuda alimentar, os pequenos trabalhos que sempre realizam e a tendência para defender-se - veja-se o caso da Bósnia. Só falta à sua actuação, uma componente económica para serem recolonizadores. O facto de integrarem, nas forças das Nações Unidas, militares de países pobres ou do Terceiro Mundo não invalida o carácter colonizador desta acção de paz. Eles estão aí em nome da comunidade internacional e é em nome dela que actuam." 236 páginas Capa mole Dom Quixote 1ª edição 1996 Estado Novo 25€

A CONSPIRAÇÃO ANTIAFRICANA EM PORTUGAL

'OPERAÇÃO ÁFRICA - A CONSPIRAÇÃO ANTIAFRICANA EM PORTUGAL' De Fernando Semedo e João Paulo Guerra Editorial Caminho Lisboa, 1984 Livro com 105 páginas, ilustrado com a reprodução de documentos e em muito bom estado de conservação. De difícil localização. Da contra-capa: "OPERAÇÃO ÁFRICA - A CONSPIRAÇÃO ANTIAFRICANA EM PORTUGAL, apresenta ao leitor uma exposição pormenorizada, rica, multifacetada, das actividades conspiratórias desenvolvidas em Portugal pelos grupos fantoches africanos das antigas colónias portuguesas. Os autores do livro, Fernando Semedo e João Paulo guerra, jornalistas portugueses bem conhecidos do leitor, fizeram uma aprofundada investigação jornalística, que mostra de forma evidente a ligação deses grupos com a CIA e o BOSS (Serviços secretos sul-africanos),, bem como, antes do 25 de Abril, com a PIDE. Uma atenão especial é dedicada ao esclarecimento do papel da direita portuguesa, e nomeadamente de alguns governantes após o 25 de abril, no quadro da conspiração contra os actuais regimes democráticos dos países africanos de expressão portuguesa. OPERAÇÃO ÁFRICA é um livro de dennúncia, e também uma reportagem viva e plena de actualidade sobre um tema central da vida política portuguesa de hoje." 25€

DESCOLONIZAÇÃO PORTUGUESA - O regresso das Caravelas

Ultramar - 'DESCOLONIZAÇÃO PORTUGUESA - O regresso das Caravelas', de João Paulo Guerra (Lisboa 1999) Descolonização - O drama, a tragédia e a confusão fizeram apesar de tudo surgir novos países de expressão portuguesa 'DESCOLONIZAÇÃO PORTUGUESA - O regresso das Caravelas' De João Paulo Guerra Edição Dom Quixote Lisboa 1999 Sinopse Descolonização Portuguesa - O Regresso das Caravelas faz o balanço de um dos episódios históricos mais marcantes do nosso país, colocando frente a frente os argumentos dos seus protagonistas. Em discurso directo, os que pensaram e decidiram a descolonização confrontam ideias e factos. Os mais altos dirigentes militares e civis, entre os quais quatro presidentes da República, dizem de sua justiça e respondem perante os dramas, os antecedentes e as consequências da maior mudança na História de Portugal no regresso de cinco séculos de colonização. Um relato cheio de revelações que cruza depoimentos, entre muitos outros, de Adriano Moreira, Almeida Santos, António de Spínola, Ramalho Eanes, Rosa Coutinho, Carlos Fabião, Melo Antunes, Salgueiro Maia, Costa Gomes, Jonas Savimbi, Kaúlza de Arriaga, Lemos Pires, Luís Cabral, Mário Soares, Pezarat Correia e Vasco Gonçalves. Uma cronologia da descolonização e das independências e a reportagem do drama de Timor completam a crónica de Descolonização Portuguesa - O Regresso das Caravelas, fazendo desta obra um documento único e imprescindível para a compreensão de um dos maiores dramas da História de Portugal. Raro

OS "FLECHAS" ATACAM DE NOVO

Da guerra colonial à descolonização - 'OS "FLECHAS" ATACAM DE NOVO', de João Paulo Guerra - Lisboa 1988 Guerra colonial - As actividades da oposição aos regimes de Angola, Guiné e Moçambique 'OS "FLECHAS" ATACAM DE NOVO' De João Paulo Guerra Editorial Caminho Lisboa, 1988 20€

Memória das Guerras Coloniais

"Memória das Guerras Coloniais" título: "Memória das Guerras Coloniais" autor: João Paulo Guerra editor: Afrontamento 1ªed. Porto, Mar1994; (2ªed. 1995) 453 págs 24x15 cm 20€

LALIPO: ADEUS, ANGOLA UMA REVOLUÇÃO TRAÍDA

LALIPO: ADEUS, ANGOLA UMA REVOLUÇÃO TRAÍDA ANTÓNIO ALBERTO NETO Universitária Editora, Lisboa 2001. 1ª Edição. 14,5x20cm. 204[1] págs “A história desse período está em aberto e com Lalipo, Alberto Neto empreendeu em dar a conhecer ao seu Povo que a alternativa de construir a felicidade do povo Angolano só é possível com um partido que construa na rocha e que tenha princípios correctos. O entrar nesse novo milénio certamente dará razão à análise empreendida pelo autor de Lalipo. Angola traida pelos abutres que vieram debicar e destruir Angola e o seu Povo. […].” Sara Fielding Excelente estado Raro

'PORTUGAL, E AGORA?

'PORTUGAL, E AGORA?' Silvino Silvério Marques Edições do Templo Lisboa 1978 Silvino Silvério Marques (Nazaré, 23 de Março de 1918 - Lisboa, 1 de Outubro de 2013) foi um oficial general do Exército Português e administrador colonial. O autor, general do exército português, com vasta obra editada, analisa e aborda o processo de descolonização, nomeadamente dos territórios africanos que bem conheceu: Angola, Cabo Verde e Moçambique. Bom Estado 10€

África, a vitória traída

África, a vitória traída KAÚLZA DE ARRIAGA, SILVINO SILVÉRIO MARQUES, BETHENCOURT RODRIGUES, J. DA LUZ CUNHA. Tema do livro: História da África Editora: Intervenção Ano de edição:1977 Idioma: Português Formato: Normal Tipo de capa: Capa mole Nº de Páginas: 276 Bom Estado 10€

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Linha estreita de liberdade : a Casa dos Estudantes do Império

Linha estreita de liberdade : a Casa dos Estudantes do Império Monografia Autor Faria, António Edição 1ª ed Editor Lisboa Colibri, 1997 Série Estudos de história regional Idioma Português Estado Novo 15€ Um novo texto com a qualidade, o escrúpulo científico e o estilo brilhante a que Manuel Simões nos habituou. Fala-nos de um livro que aborda a história da Casa dos Estudantes do Império…Imagem1 A Casa dos Estudantes do Império, criada em 1944 por vontade do governo do Estado Novo para mais facilmente controlar os movimentos dos estudantes africanos que em Lisboa (ou Coimbra) frequentavam a universidade – inicialmente era composta apenas por estudantes angolanos e daí o nome primitivo de Casa dos Estudantes de Angola – veio a revelar-se um centro veiculador dos fermentos revolucionários que desembocaram na guerra de libertação nas antigas colónias portuguesas, a ponto de ser encerrada em 1965 por decisão governamental e com grande aparato por parte da polícia política.Por ali passaram intelectuais de grande prestígio como Amílcar Cabral, Agostinho Neto, Carlos Ervedosa ou Orlando da Costa, arquitectos da ideologia e da praxis que haveria de animar a luta armada contra o colonialismo e pela independência dos vários países africanos. São estes aspectos que justificam uma reflexão histórica sobre uma instituição que se identificou como núcleo unificador, até do ponto de vista linguístico, da diversidade cultural das diversas áreas africanas, espaço de debate ideológico e por isso mesmo veículo de consciencialização no sentido da auto-afirmação da identidade nacional. À partida, portanto, o ensaio histórico de António Faria (Lisboa, Ed. Colibri, 1997) revela-se de grande interesse, tanto mais que a actividade desenvolvida pela Casa dos Estudantes do Império tem sido observada por razões que se prendem mais com os aspectos literários do que com o discurso histórico, embora o Autor declare, logo na introdução, «que os acontecimentos são ainda bastante próximos para poderem ser objecto de sínteses rigorosas a que só a distância no tempo poderá conferir uma expressão mais completa e verdadeira». Apesar disso, e não obstante a imersão da CEI no espaço cultural e sócio-político português, com o qual estabeleceu ramificações inevitáveis, creio que é possível “isolar” a especificidade de um grupo heterogéneo que, partindo dos tímidos passos e da posição conservadora dos fundadores, subverteu os objectivos do projecto e contribuiu para pôr em causa os próprios fundamentos do império. Neste itinerário histórico, António Faria expõe as questões de ordem metodológica para observar depois o processo histórico subjacente à criação, ao funcionamento e à proibição da CEI. Sobre estes aspectos teria sido pertinente – e talvez fundamental – uma observação sistemática do órgão da CEI, “Mensagem”, até porque se trata de um instrumento pouco conhecido. No presente ensaio há apenas referência ao nº. 1(1946), quando se trata da fundação e da polémica que se lhe seguiu; ao nº. de Novembro de 1962 sobre os problemas da integração e da alienação; e a dois números de 1963, desta vez para acentuar o «factor de unidade e consciencialização», embora na bibliografia se cite genericamente, como fontes, os números de 1944-1964. De resto, é o próprio António Faria quem afirma haver «nas páginas das publicações da Casa dos Estudantes do Império uma preocupação que não se confina ao interesse meramente literário», ainda que o texto literário possa muitas vezes ser a representação de eventos que ultrapassam o aspecto ficcional. Sem pretender fazer a história de um grupo, de um tempo ou de um espaço, o primeiro capítulo de “A Geração da Utopia”, de Pepetela, por exemplo, está intimamente ligado aos mecanismos e à atmosfera que se vivia na CEI. E referindo-se especificamente às edições da Casa dos Estudantes do Império, já Mário António (“Reler África”, 1990) referiu que anunciavam a tempestade que iria abalar o império tão despudoradamente exibido no nome da instituição (cit. por A. Faria, p. 73), o que representa mais uma razão para aprofundar estes aspectos e empreender um estudo da história a partir dos próprios órgãos da CEI: o “Boletim” e a “Mensagem”, de Lisboa, e o “Meridiano” da delegação de Coimbra. A propósito de Mário António, cuja obra poética me merece o maior respeito, parece-me que se trata de uma figura aqui sobrevalorizada, sobretudo porque o discurso histórico reivindica a metodologia da isenção. De facto, diversas vezes é invocada a autoridade do malogrado poeta, sem que se note a utilização do filtro crítico. Por exemplo, no cap. 6, escreve-se que «Mário António recusa aceitar as descrições de Mário de Andrade quanto à existência efectiva do ‘movimento cultural’ Vamos Descobrir Angola». E acrescenta António Faria: «Há nos textos de Mário de Andrade publicados em França relatos de ‘ocorrências revolucionárias’ duvidosas, cuja existência efectiva é controversa» (nota de p. 55). Se o Autor levanta a questão duma ficção política e cultural e a trata nestes termos, então a ficção tanto pode depender de Mário de Andrade, como de Mário António, como ainda do próprio Autor. No fim de contas, a questão de fundo que marca essencialmente o ensaio de António Faria consiste no carácter esquemático da análise histórica, nunca exauriente, aspecto tanto mais estranho se considerarmos que esta obra tinha como precedente outro ensaio do Autor: “A Casa dos Estudantes doImpério: Itinerário Histórico” (1995); e que teria sido possível apreender o discurso histórico globalmente veiculado pela revista “Mensagem” através da edição, em 2 vols., do corpus integral daquela revista (“Mensagem-Casa dos Estudantes do Império”, Lisboa, ALAC, 1996), com organização de Manuel Ferreira, edição que me parece ostensivamente ignorada neste trabalho. (Texto publicado precedentemente, com variantes, na revista “Rassegna Iberistica” (Veneza), Novembro de 1998). 15€

Sagrada Esperança

Sagrada Esperança Neto, Agostinho Editor: União dos Escritores Angolanos Categoria: Literatura : Poesia Africana Ano: 1979 Idioma: Portugues Páginas: 150 ENCADERNAÇÃO: Capa Dura ILUSTRAÇÕES: Não ESTADO: Aceitável OBSERVAÇÕES AO ESTADO: Tem uma dedicatória de oferta no interior! 25€

HISTÓRIA DO CONGO PORTUGUÊS

HISTÓRIA DO CONGO PORTUGUÊS HÉLIO ESTEVES FELGAS Autor: Felgas, Hélio História do Congo português Hélio Esteves Felgas Carmona : [s.n.], 1958 213, [2] páginas [31] f. il. : il. ; 23 cm Estado Excelente 25€

CONFRONTO EM ÁFRICA WASHINGTON E A QUEDA DO IMPÉRIO COLONIAL PORTUGUÊS

CONFRONTO EM ÁFRICA WASHINGTON E A QUEDA DO IMPÉRIO COLONIAL PORTUGUÊS WITNEY W. SCHNEIDMAN Confronto em África : Washington e a queda do império colonial português Witney W. Schneidman apresentação. Frank C. Carlucci introdução. Leonardo Mathias trad. Nuno Bon de Sousa ; rev. Mendo Castro Henriques Lisboa Tribuna da História, 2005 346 páginas .23 cm

Salazar / Franco Nogueira

Salazar / Franco Nogueira Coimbra: Ed. Civilização 6 volumes. : il. ; 22 cm CONTÉM: 1º v.: A mocidade e os princípios (1889-1928) : estudo biográfico. - XII, 339, [1] p. . 2º v.: Os tempos áureos (1928-1936) : estudo biográfico. - 1977. - VII, 380 p. 3º v.: As grandes crises (1936-1945). - 1978. - [6] p. 590, [1] p. . - 4º v.: O ataque (1945-1958). - 1980. - [4], 534 p. 5º v.: A resistência (1958-1964). - Porto : Civilização, 1984. - [6], 609, [1] p. 6º v.: O último combate (1964-1970). - Porto : Civilização, 1985. - XIX, 511, [1] p. Todos em bom Estado 50€ Todos (Portes incluídos)

Mocidade portuguesa : breve história de uma organização salazarista

Mocidade portuguesa : breve história de uma organização salazarista Lopes Arriaga Lisboa : Terra Livre, 1976. 194 páginas ilustrado 21 cm Bom Estado 15€

48 ANOS DE FASCISMO EM PORTUGAL

48 ANOS DE FASCISMO EM PORTUGAL Edição: c23 Autor: Carvalhas,Carme 48 anos de fascismo em Portugal / Carme Carvalhas Lisboa : C. D. Carvalhas, 1974 195, 19 cm Cadernos Maria da Fonte : 4

'AS LÁGRIMAS E O VENTO'

'AS LÁGRIMAS E O VENTO' De Manuel dos Santos Lima MANUEL DOS SANTOS LIMA nasceu em Angola, na cidade de Silva Porto, em 1935. A sua infância, passada no interior, é testemunha sensível dos vexames e lágrimas do seu povo oprimido pela noite colonial que M. Santos Lima denunciará, mais tarde, no seu primeiro romance,"AS SEMENTES DA LIBERDADE." Em Lisboa, cursa direito e entretanto colabora em â"˜Mensagem", órgão da Casa dos Estudantes do Império. Em 1956 vai a Paris, como delegado por Angola, ao 1º Congresso Internacional dos Escritores e Artistas Negros. Alguns anos mais tarde participará, ainda, no Congresso dos Escritores Afro-Asiáticos (Cairo, 1962), no Congresso dos Escritores Negros (Montereal, 1968), e no Congresso de Francofonia (Quebec, 1971). Mas as actividades sócio-culturais do autor de â˜Kissange" são suspeitas à PIDE que lhe interditou a saída de portugal entre 1958 e 1961, data em que desertou do exército português para aderir activamente ao movimento de libertação de Angola. Ex-membro do comité Directivo do MPLA, Manuel dos Santos Lima foi o fundador e o primeiro e o primeiro comandante em chefe do Exército Popular de Libertação de Angola (EPLA). Desta sua experiência vivida, nascerá, em termos de ficção empolgante e dramática, o primeiro grande romance sobre a guerra de Angola AS LÁGRIMAS E O VENTO Raro 25€

Angola, Juventude em Fuga

Angola, Juventude em Fuga Paula Maria Prefácio de Vera Lagoa. Braga Editora, 1977 (1ª edição). Livro como novo, 163 páginas.

'IMBONDEIRO GIGANTE'

Angola & Literatura - A literatura angolana, portuguesa e brasileira 'IMBONDEIRO GIGANTE' Edição Imbomdeiro Angola, Sá da Bandeira 1963 Livro com 198 páginas Bom estado de conservação. . Do ÍNDICE: - PROPÓSITO - Garibaldino de andrade e Leonel cosme; - 'NEGRITUDE' (glossário) - Alexandre Cabral (Biografia do autor); - 'AURELIANO PINGUELHA' - Antunes da Silva (Biografia do autor); - 'UMA POÇA DE ÁGUA' - Eduardo Teófilo (Biografia do autor); - 'MAIÁ' - Fernando Reis (Biografia do autor); - 'O PESCADOR' -Garibaldino de Andrade (Biografia do autor); - 'O CURINGA' - Guido Wilmar Sassi (Biografia do autor); - 'AS TIGELAS' - Jorge Medauar (Biografia do autor); - 'UMA ANEDOTA DE GAIATOS' - José Régio (Biografia do autor); - 'AMOR DE PÃO' - Júlio Graça (Biografia do autor); - 'A MEDALHA' - Lygia Fagubdes Telles (Biografia do autor); - 'NOCTURNO PARA VIOLONCELO' - Luís Cajão (Biografia do autor); - 'MAÇAS NO MADUREIRO' - Manuel Amaral (Biografia do autor); - 'SAMBA' - Mário Abntónio (Biografia do autor); - 'A QUIANDA' (vocabulário) - Óscar Ribas (Biografia do autor); - 'AS REDES' - Ricardo Ramos (Biografia do autor); - 'ROSSIO - 63' - Urbano Tavares Rodrigues (Biografia do autor); - 'NU E DESCARNADO' - Vasco Branco (Biografia do autor); 35€ (Portes incluídos)

ANGOLA - PEQUENA MONOGRAFIA

ANGOLA - PEQUENA MONOGRAFIA Autor(es)Norberto Gonzaga Edição da Agência Geral do Ultramar Português Observações Ultramar - Monografia de grande qualidade Obra de grande qualidade, sucessivamente reeditada e actualizada, com 286 páginas. Um livro fundamental para ficar a conhecer esta antiga colónia portuguesa e as suas riquezas e desenvolvimento 20€ (portes incluídos)

Angola paz só com Muxima

Angola paz só com Muxima - Autor(es) Abel Matias Editora Edições Ora & Labora Estado Novo 20€ Portes Grátis Portugal

MALANDROS - A Evacuação Aérea dos Portugueses de Angola.

MALANDROS - A Evacuação Aérea dos Portugueses de Angola. Autor(es)João dos Reis Editora Edição Literal Língua Português Um drama real narrado por quem o viveu. Livro com 256 páginas, com a reprodução de diversos documentos. Lisboa 1977 Bom Estado 20€

ANGOLA A FOGO INTENSO

ANGOLA A FOGO INTENSO Autor(es) JOSÉ GONÇALVES Editora COTOVIA «JOSÉ GONÇALVES, ECONOMISTA ANGOLANO, 48 ANOS. EXILADO AOS 18 ANOS EM VIRTUDE DAS PERSEGUIÇÕES MOTIVADAS PELO SEU ENCORAJAMENTO ANTI-COLONIAL, REGRESSOU A ANGOLA APÓS O 25 DE ABRIL, FAZENDO PARTE DAS CORRENTES DEMOCRÁTICAS OPOSTAS À GUERRA CIVIL» COTOVIA. LISBOA. 1991. 120 PÁGS. ESTADO RAZOÁVEL

Lisboa e Salazar (1928/1960)

Lisboa e Salazar (1928/1960) Eduardo de Sousa Pereira 272 páginas 20x26 cm Brochado Muito ilustrado com fotos a p&b, algumas desdobráveis Bom Estado Muito interessante e raro 30€

O Cinema sob o olhar de Salazar

O Cinema sob o olhar de Salazar Luís Reis Torgal, historiador e professor no Instituto de História e Teoria das Ideias, da Faculdade de Letras de Coimbra. Esta obra tem co-autoria de Alberto Pena Rodriguez, Álvaro Garrido, António Pedro Pita, Cristina Barcoso, Fausto Cruchinho, Heloísa Paulo, Jorge Seabra, José Matos-Cruz, Paulo Filipe Monteiro, Paulo Jorge Granja e Luís Reis Torgal. “Oliveira Salazar gostava de ir ao cinema mas ignorava os filmes estrangeiros e via sobretudo os filmes portugueses dramáticos ou históricos e menos as comédias…” (testemunho, contido na obra, de António Lopes Ribeiro, «o realizador por excelência do Estado Novo»). 20€ Raro e em bom Estado

Portugal - o último descobrimento / the last discovery

Portugal - o último descobrimento / the last discovery. Jorge Barros e Helena Vaz da Silva. 1996. editora Valor grande formato. capa dura com sobrecapa. 148 pág. edição bilingüe : português / inglês. excelente edição com belas fotografias. Portugal de norte a sul. continente e ilhas. Excelente Estado 15€

Os Automóveis no Palácio de Cristal.

Os Automóveis no Palácio de Cristal. 6.º Salão Automóvel do Porto, 1927. Vista geral da nave central. In-4.º gr. de 167-II págs. Enc. Fernandes, Lda, (Azevedo & ) O êxito deste salão é descrito nos jornais e revistas da época como uma das maiores manifestações desportivas e sociais que ocorreram na cidade do Porto. Durante os dias em que o Salão esteve franquiado ao público, centenas de pessoas, dos mais diferentes pontos do país, percorreram a nave central do Palácio de Cristal e suas salas anexas, admirando as viaturas expostas. (Excerto do texto). Profusamente ilustrado sobre o tema tratado com autênticas maravilhas. Encadernação editorial protegida com sobrecapa ilustrada. Excelente Estado 20€ (portes incluídos)