sexta-feira, 20 de outubro de 2017

O Socialismo que eu vivi




Cândida Ventura foi militante do Partido Comunista Português desde os anos 30, e foi uma das primeiras mulheres a ocupar cargos de destaque no Comité Central. Viveu na clandestinidade, conheceu as agruras da prisão, e, desde cedo, teve também problemas disciplinares no seio do partido, por pensar pela sua cabeça e expressar as suas opiniões. Representante do PCP na Checoslováquia, durante os anos 60, foi testemunha da Primavera de Praga e da ocupação soviética. Desde então consagrou a sua luta a denunciar as ilusões do «socialismo que viveu», acabando por abandonar o partido nos anos 70. Publicada pela primeira vez nos anos 80, reedita-se agora esta obra, um testemunho imprescindível para a compreensão da História do século XX, com um novo capítulo da autora, «O Que Faltou Dizer».

Livro em bom estado.
Edições "O Jornal"

10€

Sem comentários:

Enviar um comentário